terça-feira, 17 de julho de 2012

O QUE É XAMANISMO

A Busca de uma Definição
Atualmente quando a maioria das pessoas ouvem a palavra xamanismo pensam em culturas indígenas americanas, outros reclamam por que não pajelança se estão no Brasil. Sempre considerado como um programa de índio. O xamanismo não se refere apenas à espiritualidade indígena. É certo que os indígenas foram os grandes responsáveis por manterem acessas as chamas da Medicina da Terra mas as práticas se originaram no homem primitivo, no paleolítico. A palavra tem origem siberiana e não americana e é usada hoje como uma forma única para descrever as práticas no mundo todo. Ou seja, as práticas são universais, é um legado do Mundo Espiritual para a Humanidade. Não pode haver fronteiras. A palavra xamanismo foi criada por antropólogos (ver em xamã) para definir um conjunto de crenças ancestrais. Para mim é um caminho de conhecimento. Nós podemos perceber traços do xamanismo em várias religiões. As raízes do xamanismo são arcaicas e alguns antropólogos chegam a pensar que elas recuam até quase tão longe quanto a própria consciência humana. As origens do xamanismo datam de 40.000 a 50.000 anos, na Idade da Pedra. Antropólogos têm estudado xamanismo nas Américas; do Norte, Central, Sul. Também na África, entre os povos aborígines da Austrália, Esquimós, Indonésia, Malásia, Senegal, Patagonia, Sibéria, Bali, Velha Inglaterra e ao redor da Europa, no Tibet onde o xamanismo Bon segue a linha do Budismo Tibetano, ou seja, em todos os lugares ao redor do mundo. Seus traços estão presentes nas Grandes religiões. Religião da Idade da Pedra
Piers Viebsky em "O xamã", cita que em 1991 foi encontrado o corpo mumificado de um homem preservado sob as neves dos Alpes Austríacos. Foi apanhado por um temporal ao cruzar um desfiladeiro da montanha há cerca de cinco mil anos. Poderia ser de um pastor (de ovelhas) mas as tatuagens na pele, um disco de pedra numa correia e alguns musgos secos medicinais encontrados em sua posse permite a suposição de que era um xamã numa viagem ritual. Muito antes de ter sido descoberto esse "homem do gelo", no princípio do sec. XX, foram encontradas pinturas rupestres pré-históricas, no Sul da França, de figuras semi-humanas, semi-animais entre animais comuns, que foram consideradas como representando xamãs e que conduziram a suposição de que o xamanismo foi a religião humana original e primordial. img Numa das gravuras um homem com o falo ereto está deitado ao lado de um bisonte com uma cabeça de pássaro ao seu lado; o próprio homem parece ter a cabeça de pássaro e presume-se que a gravura represente um xamã em transe. Essa interpretação foi popularizada na década de 60 por Lommel num livro profusamente ilustrado, Shamanism:The Beginnings Of The Art. A figura da gruta de Les Trois Frères nos Pirineus franceses que foi chamada de Feiticeiro Dançador, é considerada por alguns estudiosos como representando um xamã. Uma criatura masculina vista de perfil olha de frente para quem a contempla com os seus olhos muito redondos. Todas as partes da sua anatomia parecem pertencer a um determinado animal: orelhas de lobo, chifres de veado, rabo de cavalo e patas de urso. E no entanto o efeito geral é notoriamente humano. Outra interpretação possível é a de que represente um espírito Senhor dos Animais personificando simultaneamente a essência de todas as espécies. O primeiro tratado vem da Sibéria (altaicos, iacutes, buriatas, tungues, vogul, samoiedos, etc.). Uma fonte acredita que os homens/xamãs teriam emigrado durante as grandes glaciações seguindo rebanhos de renas. Eles passaram pelo estreito de Bering ou por uma ponte terrestre que ligava os dois continentes e se espalharam pelo mundo. Encontram-se fenômenos xamânicos similares entre os esquimós, índios das Américas; do Norte, Central e Sul; Oceania, Austrália, no sudeste asiático, na Índia, no Tibet e na China. Trata-se de um conjunto de práticas evidentemente adaptadas a cada cultura, a cada crença, mas que em toda parte apresenta o mesmo conteúdo mágico, religioso e simbólico. Faz pensar que todos vieram de uma mesma fonte de conhecimento. Sintetizando, o xamanismo é a "Jornada da Consciência", um legado da humanidade além das fronteiras dos países, credos, raças, filosofias. Xamanismo Universal não significa uma classificação nova no xamanismo, o xamanismo é universal. A premissa básica é o reconhecimento que todos fazemos parte da Família Universal e tudo está interligado. O praticante compreende o Espírito Essencial que está dentro dele mesmo, na natureza e em todos os seres. O praticante sabe quem ele é e como se relaciona com o Universo. No sentido do "religare" pode ser considerada uma religião, mas o xamanismo não é como um conjunto de ritos específicos que seguem seus mestres máximos como cristianismo (Cristo), budismo (Buda), islamismo (Maomé), Taoísmo (Lao-Tsé), etc; cujas práticas são determinadas e iguais e que possuem seus Livros Sagrados de conduta em todos os lugares do mundo. Na essência são práticas religiosas. O xamanismo se insere de acordo com a crença espiritual/religiosa local, é um fenômeno religioso. Pode-se dizer que as religiões representam um xamanismo adaptado e afetaram as tradições xamânicas continuadas ou marginalizadas nas culturas que dominaram. As práticas, os mitos, as entidades dependem da tribo, linha, geografia, crenças. O xamã é sempre uma figura dominante e não um santo,avatar ou profeta. Ele é um intermediário entre o mundo espiritual, natureza e a comunidade. A Medicina da Terra é derivada de conhecimentos medicinais passados pelos ancestrais que são honrados por aqueles que recebem a iniciação. O clichê mais ultrapassado é aquele em que o iniciado tenta matar simbolicamente seu iniciador ao invés de honrá-lo. Isso é enfraquecer a raiz pela qual ele foi formado, uma auto-sabotagem espiritual. O entendimento disso faz com que o discipulado crie conscientemente um movimento de afinidade que traz harmonia no resultado. img O "conhecimento" é para todos mas "sabedoria" é para alguns. Por isso acho importante a divulgação do conhecimento e aplicação prática dele pois existe ainda uma minoria que se transforma. É como um garimpo! Entre esses buscadores do conhecimento sempre sai uma pepita de ouro que vai fazer o mundo mais brilhante. Por essas pepitas vale a pena. O coração do verdadeiro iniciado tem que se confortar com isso pois sempre é a minoria. Por outro lado existe um outro fenômeno, algumas pessoas lançam-se à determinadas práticas sem o devido conhecimento e sem as "bênçãos espirituais", ou seja: ação sem conhecimento. O que pode ser problemático. Muitos iniciam a caminhada mas poucos atingem as maiores alturas. Este conhecimento não está limitado aos iluminados, é disponível para todos nós dependendo da sinceridade e humildade com que buscamos. Sabedoria xamânica é sabedoria da Mãe Terra e, a cada filho dela, é dado um presente, algum talento especial. O xamã compreende o Círculo Sagrado da vida e recomenda, ajuda na cura, ensina o que é necessário para o bem da comunidade.Isto significa freqüentemente colocar a comunidade em primeiro plano. O caminho xamânico conduz a um relacionamento de amor com a Mãe Terra. Não é possível praticar o verdadeiro xamanismo sem incluir os cuidados com a preservação da vida de todos os reinos (animal, mineral, vegetal, espiritual) em nosso planeta.
O xamanismo aparece como um reflexo de um Grande Espírito que pode ter vários nomes. É honrado o Criador e todas as suas criaturas, sejam pedras, animais, aves, plantas, peixes, insetos, águas, ventos e outras manifestações da natureza que compartilhamos a existência nesta vida. Essa consciência, esse alinhamento com as forças da natureza, transforma-se em poder de cura e expande habilidades psíquicas através da reconexão com a vida, com o Sagrado, com o mistério da Criação. O foco das práticas do xamanismo centra-se nos ritmos cíclicos da natureza: nascimento, morte e renascimento, a complementaridade masculino e feminino, o contato pessoal individual com ambiente imediato da terra, com as forças da terra do sol, da lua e das estrelas. Um verdadeiro xamã enfrentou suas sombras e venceu seus medos da insanidade, solidão, orgulho, vaidade, vícios, doença, ao passar por mortes em vida. Depois disso, escolhe tornar-se curador curado, auxiliador, visionário, à serviço das pessoas. No xamanismo ao redor do mundo podemos ver as similaridades que definem as práticas : A Busca por estados Alterados de Consciência, Vôo da Alma / Êxtase. O xamã é um especialista e um mestre da viagem estática A capacidade de viajar em espírito assumindo a forma de um animal ou ave ou diretamente através daquilo a que chamaríamos de experiência fora-do-corpo. Este vôo mágico é um dos fundamentos do xamanismo Viagem por mundos paralelos ( Reino dos Espíritos). Mundos invisíveis à realidade ordinária a fim de guiar espíritos e obter conhecimento espiritual. O xamã atua como canal de cura. Tem conhecimento do poder das plantas, pedras, dos espíritos animais e seres da natureza. Devoção à Criação, Sol, Lua, Estrelas. Reconhecimento da presença de Deus em todas as manifestações do Universo Interação com espíritos da natureza Utilização de instrumentos de poder para induzir ao transe /estados alterados de consciência (tambores, maracás, etc) Conhecimento sobre o fogo Utilização de plantas (purificação, enteógenas, medicinais, magnéticas) Canções de Poder Danças Respiratórios e dietas Contação de histórias, preleições.
O Xamanismo como a mais antiga prática espiritual da humanidade tem como base em suas práticas o respeito pela ecologia, reconhecimento do Sagrado, necessidade de expandir a consciência e obter resposta em mundos paralelos, prática do amor incondicional . Suas práticas estabelecem contato com outros planos de consciência a fim de obter conhecimento, poder, equilíbrio, saúde. Propicia tranqüilidade, paz, profunda concentração, estimula o bem estar físico, psicológico e espiritual. A interação harmônica dos elementos equilibra a Jornada da Nossa Alma, faz girar a Roda da Vida em harmonia. No xamanismo praticado na atualidade estudamos os talentos elementais: A Terra é relacionada com o corpo físico e com as sensações. A Água é relacionada com a alma e com as emoções e sentimentos. O ar é relacionado com a mente e aos pensamentos e idéias. O fogo é relacionado com o espírito e associado à consciência, a claridade, a inspirarão. O reconhecimento do caminho da verdade vem da expansão da consciência e a compreensão de que o verdadeiro poder está dentro de cada praticante e provém do desenvolvimento de seus próprios dons. Inspirados na sabedoria dos povos ancestrais temos o desafio de resgatar o conhecimento acumulado nas práticas xamânicas das diversas tradições do planeta para os dias atuais. Assim, pretendemos contribuir para a saúde, autoconhecimento e o bem-estar geral do nosso povo e resgatar valores para uma vida mais harmônica e ecológicamente correta. Os ancestrais xamânicos viviam em harmonia e equilíbrio com todos os seres, pedras, plantas, animais, pássaros, peixes e até insetos.Para garantir sua sobrevivência em ambiente hostil os homens primitivos interpretavam os sinais e as mudanças da natureza a seu redor. Viviam de acordo com os ciclos do Sol e da Lua, das mudanças das estações, manifestações da natureza, vento, chuva, etc. img Os caminhos do xamanismo são espirituais. A prática xamânica compreende a capacidade de entrar e sair de estados de consciência, de realidades não-ordinárias Os estados alterados de consciência não envolvem apenas o transe e sim a capacidade de viajar na realidade incomum com o objetivo de encontrar espíritos animais, plantas, mentores, obter insights, promover curas, oráculos. Os estados alterados de consciência incluem vários graus. Stanley Kryppner chega a classificar vinte estados diferentes de consciência. Elíade fala do êxtase, Castañeda fala do nagual. Nirvana, samadhi, alfa, transe, satori, consciência cósmica, supraconsciência, etc.,também são nomes para a mesma manifestação. São através desses estados que conseguimos conexão com nossos mitos, símbolos, nossa verdade interior. Conseguimos expandir a percepção para mistérios que estão guardados em nós mesmos. Aprendemos a sentir, ver e ouvir a energia.Nos religamos com o Sagrado e com a fonte criativa de tudo o que nos acontece. Através da consciência ordinária não conseguimos alcançar níveis profundos do nosso ser. Existem diversas técnicas ou rituais para se chegar a estados mais profundos de consciência, dentre elas: tambores, danças, jejuns, plantas de poder (enteógenos), respirações, posturas corporais, e outros. Através desses estados especiais alcança-se uma experiência divina, acessa-se uma fonte de Sabedoria Superior, podemos curar nosso corpo, nos conhecemos melhor através das visões, expandimos a nossa consciência. Aprende-se as influências e forças da Terra e como as energias naturais afetam a vida. Tudo na natureza cresce e muda. É um ciclo. Os povos antigos consideravam a viagem circular da Terra ao redor do Sol, uma roda, representando o eterno ciclo de nascimento e desabrochar, crescimento e florescimento, maturidade e frutificação, envelhecimento e decadência, morte e decomposição e novamente renascimento, refletido na vida humana e na natureza. Os nativos reconhecem o círculo como o principal símbolo para o entendimento dos mistérios da vida. Observaram que ele estava impresso em toda a natureza. O homem olha o mundo através dos olhos que é um círculo. A Terra, a Lua, o Sol, os planetas; são todos circulares. O nascer e o por do Sol acompanham um movimento circular. As estações formam um círculo. Os pássaros constroem ninhos em círculos, animais marcam seus territórios em círculos. As cabanas, ocas, tipis são circulares. O xamanismo resgata a relação sagrada do homem com o planeta. O resgate dos festivais sazonais (Solstícios e Equinócios), por exemplo, não marcam apenas a jornada do Sol, mas também os pontos críticos das estações, o ciclo agrícola, nossas emoções, hábitos. Essas "Forças Verdadeira acessadas desde o princípio na história espiritual da Terra, são resgatadas através dos séculos e podemos sentí-las atuando em todos os momentos das cerimônias. Podemos sentir a ligação profunda que a natureza tem com a vida, nos tornarmos parte de uma comunidade global, propomos o Vôo da Consciência em busca de novos horizontes, de novas conquistas, de um novo ser, de uma nova vida. O início de uma vida pautada na sabedoria encontrada nas folhas, nos movimentos dos ventos, no poder transformador do fogo, nos espíritos ancestrais, na jornada da alma, na missão. As religiões do mundo moderno não têm tempo para a ecologia espiritual assim como a cultura e o modelo de pensamento consumista atuante. As Grandes Religiões inspiram e apontam para uma vida eterna fora deste planeta e pouco se preocupam em honrar as realidades do espaço sagrado em que vivemos. Atualmente muitos vivem com uma sensação de separação, isolamento, um sentimento de que deva existir um sentido maior na vida. Os rituais xamânicos podem trazer a consciência de somos apenas um "microcosmo", que somos parte de "algo maior", que somos filhos da Terra, parte de uma Terra Viva. Harmonia - Amor - Paz e Luz
Fonte:http://www.xamanismo.com.br

sábado, 30 de junho de 2012

SER ZEN

Ser zen não é ficar numa boa o tempo todo, de papo para o ar, achando tudo lindo sem fazer nada. Ser zen é ser ativo. É estar forte e decidido. E caminhar com leveza, mas com certeza. É auxiliar a quem precisa, no que precisa e não no que se idealiza. Ser zen é ser simples. Da simplicidade dos santos e dos sábios. Que não precisam de nada. Nada mais que o necessário. Para o encontro, a comida, a cama, a diversão, o trabalho. Ser zen é fluir com o fluir da vida. Sem drama, sem complicação. Na hora de comer come comendo, sem ver televisão, sem falar desnecessário. Sente o sabor do alimento, a textura, o condimento. Sente a ternura (ou não) da mão que plantou e colheu, da terra que recebeu e alimentou, do sol que deu energia, da água que molhou, de todos os elementos que tornam possível um pequeno prato de comida à nossa frente. Sente gratidão, não desperdiça. Come com alegria. Para satisfazer a fome de todos os famintos. Bebe para satisfazer a sede de todos os sedentos. Agradecendo e se lembrando de onde vem e para onde vai. A chuva, o sol, o vento, o guarda, o policial, o bandido, o açougueiro, o juiz, a feiticeira, o padre, a arrumadeira, o bancário e o banqueiro, o servente e o garçom, a médica e o doutor, o enfermeiro e o doente, a doença e a saúde, a vida e a morte, a imensidão e o nada, o vazio e o cheio, o tudo e cada parte. Ser zen é ser livre e saber os seus limites. SER zen é servir, é cuidar, é respeitar, compartilhar. Ser zen é hospitalidade, é ternura, é acolhida. Ser zen é o kyosaku, bastão de madeira sábia, que acorda sem ferir, que lembra deste momento, dos pés no chão como indígenas, sentindo a Terra-Mãe sustentando nossos sonhos, nossas fantasias, nossas dores, nossas alegrias. Ser zen é morrer. Morrer para a dualidade, para o falso, a mentira, a iniqüidade. Ser zen é renascer a cada instante. Na flor, na semente, na barata, no bicho do livro na estante. Ser zen é jamais esquecer de um gesto, de um olhar, de um carinho trocado no presente-futuropassado. Ser zen é não carregar rancores, ódios, cismas nem terrores. Ser zen é trocar pneu, as mãos sujas de graxa. Ser zen é ser pedreiro, fazendo e refazendo casas. Ser zen é ser simplesmente quem somos e nada mais. É ser a respiração que respira em cada ação. É fazer meditação, sentar-se para uma parede, olhar para si mesmo. Encontrar suas várias faces, seus sorrisos, suas dores. É entregar-se ao desconhecido aspecto do vazio. Não ter medo do medo. Não se fazer ou, se o fizer, assim o perceber e voltar. Ser zen é voltar para o não-saber, pois não sabemos quase nada. Não sabemos o começo, nem o meio, muito menos o fim. E tudo tem começo, meio e fim. Ser zen é estar envolvido nos problemas da cidade, da rua, da comunidade. oferecer soluções, ter criatividade, sorrir dos erros, se desculpar e sempre procurar melhorar. Ser zen é estar presente. Aqui, neste mesmo lugar. Respirando simplesmente, observando os pensamentos, memórias, aborrecimentos, alegrias e esperanças. Quando? Agora, neste instante. É estar bem aqui onde quando se fala já se foi. Tempo girando, correndo, passando, e nós passando com ele. Sem separação. Ser zen é Ser Tempo. Ser zen é Ser Existência...." Monja Coen

BUSCANDO SUA VERDADEIRA ESSENCIA.

Muitos não conhecem a si mesmos e não sabem o ser de luz e harmonia que habita dentro de cada um. Todos temos uma forma pura de matéria, a essencia natural. Quando nascemos somos pura energia, não temos interferencias, contas a pagar, problemas a resolver, somos a energia pura e precisamos do planeta e do ambiente em harmonia para crescer. Mas a medida que o tempo passa e nos tornamos adultos, esta essencia de luz vai desaparecendo por completo e acabamos dentro de muitos mundos que não nos pertencem, como doenças, desafetos, mal relacionamentos e tantas coisas que são inúmeras. No ser adulto falta a luz, a harmonia, o jeito de criança, porque a essencia está lá no fundo massacrada por tantas camadas pesadas de sofrimento. Fomos ensinados e suportar, se redimir e se anular perante o poder dos outros, sofrer para muitos é algo importante que leva a consagração, visto o que muitos conceitos religiosos afirmam. Na verdade, cada vez que alimentamos sofrimento, mágoas, raiva, depressão e outras coisas, estamos nos afastando da nossa essencia energética e estamos mais limitados a vida, com muito mais sofrimento. Deixar que as interferencias povoem nossa existencia, é algo ruim, pois cada vez que damos nosso poder, vamos enfraquecendo até não ser mais ninguém. Porem quando buscamos a nossa essencia, muita coisa surge, a criatividade, a alegria, o lado lúdico, a prosperidade e muita coisa boa. É um brilho natural que acompanha a essencia, ela ativada e com todos os centros de energia equilibrados, há amor próprio, há poder. Não algo desmedido, mas algo equilibrado pelo Universo e pela nossa natureza. Não é confortável para ninguém viver sob estress intenso, a vida fica pequena e limitada, quando se tem prazer tudo flui e somos premiados com um belo semblante. Para ativar a essencia, é preciso buscar a si mesmo e dar um basta a todas as situações constrangedoras e limitantes de todos os dias. Não dar mais tanto poder aos outros, ver que Você mesmo tem e muito valor. Não faça nada por obrigação e sim por prazer, não é porque todos no seu grupo vão para um buraco que Você também vai? Drogas nem pensar, elas desalinham nossos centros energéticos de forma permanente e podem matar a essencia, a única fonte de prazer é a própria alegria, que já nasceu conosco. Faça sempre que puder "O Dia de Mim", saia, dê presentes, mime, a si mesmo, esqueça por algum tempo os outros, neste dia o mais importante é Você. Sempre que puder curta a natureza e mesmo na imaginação tente vizualizar a Luz, o Sol, a Terra, a Água, o Fogo e o Ar. É a nossa matéria, e precisamos estar sempre em harmonia com nosso ambiente. Nunca esqueça da sua essencia, volte a ser criança, brinque, sorria, descubra que há um mundo desconhecido pertinho de Você. Ouça a música que emana das estrelas, ela está no silencio e poderá ouvir quando sua essencia estiver livre. Quando o ambiente, as pessoas ou algo te magoar, ou não estiver de acordo com sua essencia natural, veja tudo de cima. Como? Se Você está irritado, está cego, se respirar profundamente e avaliar com outros olhos, poderá usar uma visão espacial do fato, é como se fosse maior que tudo e pudesse ver de cima, olhos de uma ave voando. Pode ver o que está atrás, ir além daquele momento insano e com isso ter discernimento para resolver, avaliar e decidir o melhor para si. Cada vez queem um relacionamento, Você se deixa mandar, possuir, dominar, não é prova de amor, é limitação. Quando dois seres se amam pela essencia, há companheirismo, há proteção, há harmonia, caminham lado a lado, ninguém possui ninguém, somos seres únicos e independentes. Quem julga que ama, possuindo, tirando a essencia do outro, não ama, atua como parasita, tira as forças e pode até roubar a vida. O amor é a mais pura essencia e não está no corpo físico, está na alma, no estar junto, no prazer de viver, é seguir um caminho de mãos dadas com outra essencia pura. Mas se Você é do tipo que a paixão vem primeiro e possuir o outro é uma forma de sanar suas inseguranças, lembre que todos somos seres capazes de se libertar e um dia ele escapa, e pode acabar em fatalidade, depressão e outras coisas mais. Seja amigo das suas finanças, não gaste todo o rendimento que vem a Você, sempre guarde um pouco para o dia seguinte e quando ver terá renda para se dar aquele presente. Já notou que tudo que fazemos por impulso e ansiedade, não dá certo? Se for comprar algo nesta situação, sempre acabará comprando coisa errada ou se arrependendo depois, porque, antes de deixar que estas interferencias de ansiedade tomem o poder, é preciso libertar a essencia e avaliar se realmente é necessário comprar. Assim são todas as decisões, se não agrada, não deixa feliz, não dê tanto poder aos outros, viva sua essencia, ela é a luz própria que brilha dentro de Você. Já reparou quando vai dormir e sonha com algo bem feliz, não dá vontade de acordar. É porque ali somos pura essencia e estamos vendo a vida de fora. Sabia que sempre dizer Sim, é algo doentio? Se precisa dizer Não, tem que tentar, mesmo que vá doer em alguém. Porque tudo tem que doer em Você? Veja que buscar a verdadeira essencia é algo importante, pois através de muitos caminhos, como o auto conhecimento pode levar Você a descobrir um mundo novo, cheio de equilibrio e alegria. E com certeza será um ser feliz.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Adoro Meu Cantinho

O lar mostra nossos sonhos, conquistas, desejos, ajustes e desajustes na vida. Sendo um reflexo da nossa alma. Harmonizando o lar externo equilibramos o lar interno e vice versa.
Na minha casa tudo é mágico
Tem um delicado aroma de flores
Cada canto é um encanto

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O Sabbat Yule

O termo “Yule” provavelmente derivou da antiga expressão indo-européia “Yehwla”, que significa “Solstício de Inverno”, data em que os antigos pagãos celebravam o ano novo. A Deusa dá à luz a um filho, o Deus, no Yule . O Yule é uma época de grande escuridão e este é o menor dia do ano, marcando na natureza a chegada do inverno. As Bruxas e Bruxos celebram ocasionalmente o Yule pouco antes da aurora, e a seguir observam o nascer do sol, como se fosse o anúncio de um recomeço e a recompensa de seus esforços. Uma vez que o Deus é também o Sol, isto assinala o ponto do ano em que o Sol renasce, acendemos então velas e fogueiras para saudar o retorno da LUZ DO SOL. A Deusa, a Terra, inativa durante o inverno repousa após o parto, assim como a Terra para de florescer no inverno dando forças para as sementes colhidas no verão e replantadas no outono germinem e brotem novamente, completando assim seu ciclo! Para os Bruxas e Bruxas esse é um lembrete que o produto final da morte é um RENASCIMENTO RECONFORTANTE para alegrar esses dias de frio e sossego. Yule é o momento na Roda do Ano no qual o Rei do Azevinho (Senhor das Sombras) é vencido pelo Rei do Carvalho (o Rei do Sol, a Criança da Promessa) que chega.
Em meio à temível escuridão do Inverno, a Deusa voltou Seus olhos para a Terra. Avistando a calma, inerte e peculiar beleza que repousava nas árvores sem folhas, na neve que cobria o solo e em Suas criaturas, agora reunidas em suas cavernas e casas para fugir do frio, resolveu descer ao Mundo para dar fim ao implacável período mortal que se estendia sobre todas as formas viventes. Embora soubesse que o florescer e frutificar da Terra, bem como a gestação da nova Criança, haviam lhe deixado cansada e que o tempo de escuridão fosse, então, mais do que necessário, a Senhora sabia que, acima de tudo, os Ciclos da Vida eram tão belos e poderosos quanto os Ciclos da Morte, e começavam a agitar-se nas profundezas do solo, lutando contra o inverno gelado para renascer. Ela sabia que era momento de retirar, finalmente, Seu manto branco que se estendia pelas florestas e vales, abrindo espaço para que estes pudessem tornar-se novamente verdes, pulsantes com energia vivente. A noite era a mais longa e mais escura que já havia se visto. Movimentando-se com dificuldade devido aos avançados estágios de Sua gravidez, a Mãe de todas as coisas adentrou a floresta agora negra, buscando Aquele que comandava esta época do ano. Calmo, silencioso e taciturno, o Rei Azevinho esperava-A em meio às arvores nuas. Sua coroa de viçosas folhas verdes e os rubros frutos que a cobriam pareciam um tesouro em meio aos galhos secos espalhados por toda a parte, como se uma estranha magia os tivesse conferido o poder de sobreviver a estes difíceis tempos. Seus olhos eram firmes, Seus lábios cerrados pareciam esboçar um sorriso incompreensível, resistente, único. A Portadora da Vida sabia que seria difícil convencê-Lo a retirar-se. No entanto, ao sentir a Criança da Vida mover-se em Seu ventre, Ela tinha certeza: era chegado o momento. A Deusa sorriu. Seus lábios pareciam compreender o Rei do Gelo, mas demonstravam uma sabedoria ainda maior do que a dele. Ela disse: “Belas são as Suas palavras, Meu filho e amigo. No entanto, não se esqueça: a Terra deixa-se beijar, mas pode envolvê-Lo no mais mortal e eterno dos abraços. E o que será de Suas verdes folhas quando a escuridão eterna roubar delas o brilho que as sustenta? Sem a ajuda da Criança que se prepara para tomar o Seu lugar, você não terá mais coroa, nem trono.” “Criança! Minha Amada, Minha Mãe, Minha Senhora! Olhe para Mim; veja a sabedoria do tempo estampada em Minha Face, em Meus olhos, em Minha barba! Por que Eu, que sou o Senhor do Conhecimento, devo ser substituído por uma Criança?” – disse o Rei azevinho, gargalhando. “Que poder pode tão pequena e inocente criatura ter, que seja maior do que o Meu?” Ela quase deixou levar-se pelas palavras do Senhor da Morte, mas sabia: Ele podia ser ousado o bastante para manipular palavras e tentar convencer a Ela, que O havia gerado; mas não havia palavras que pudessem convencer a Senhora de Todos os Ciclos a agir contra Sua própria natureza. Ela respondeu-Lhe da maneira mais coerente, e, portanto, mais verdadeira: “O Filho que espero pode ser agora pequeno, mas tem tanto poder quanto Você próprio, uma vez que ambos foram gerados em Meu condescendente ventre, e conhecem igualmente Meus Mistérios. Nós sabemos: Ele crescerá. Ele o faz até mesmo enquanto dialogamos, e torna-se cada vez mais próxima a hora de Seu nascimento. E à medida em que crescer, terá cada vez maior poder para degelar esta neve sob nossos pés. E então, eu vestirei Meu manto de beleza para saudá-Lo, para amá-Lo, de modo a restituir a vida e abundância a todas as Minhas Criaturas.” “Eu não o vejo crescer”, disse o Rei do Inverno, estendendo Suas mãos para recolher alguns flocos de neve que caíam dos céus. “Vejo apenas neve, gelo, e frio. Vejo o Inverno.” “Você mesmo disse que vejo além da tristeza. Pois bem, é verdade. Meus olhos vêem além da neve, e meus ouvidos escutam as árvores sussurrarem enquanto seus galhos se tocam. Preste atenção, Filho, repare no som dos carvalhos brotando sob a neve, tão lentamente, tão suavemente!” A Deusa apontou para baixo, e de Suas mãos pareceram surgir pequenas fagulhas, que desceram até o solo, abrindo espaço na neve e mostrando ao Deus os pequenos brotos quase invisíveis que cresciam sob o gelo. “Tudo vai, e tudo vem. Tudo morre, tudo renasce. Enquanto você reina, a vida lentamente caminha em sua direção, clamando por espaço. Até mesmo Eu, que sou a Senhora de Todas as Coisas, deixo a vida preencher-Me!” E colocando as mãos em Seu ventre pleno, a Deusa convenceu, enfim, o Rei do Inverno de que Morte e Vida pareciam ser opostas, mas eram irmãs, filhas Dela mesma, Senhora daquilo que é, foi e ainda será. “Receba comigo a Criança da Promessa, e recolha-se, Sábio Azevinho, pois chegará também o Seu momento de retornar.”
A Deusa deu alguns passos em direção ao Leste, e assim permaneceu por alguns instantes, de modo que o Rei Azevinho via apenas Suas costas. Subitamente, um clarão surgiu em frente à Deusa, que cantava. A Luz era tão forte que Ele teve que cerrar os olhos. A Senhora então voltou-se para Ele. Nos braços da Grande Mãe, havia um pequeno bebê, de onde vinha o brilho e a luz da Vida. Ele era tão belo, que fez o Rei Azevinho sorrir. “A Criança da Promessa retornou”, disse a Mãe dos Deuses. “Vamos saudá-la, pois agora temos a certeza de que a vida se derramará novamente sobre a Terra. O Rei Carvalho deve agora governar. E você, Rei Azevinho, deve ir agora. Nós o agradecemos por ter protegido o mundo durante este período de escuridão, e desejamos harmonia em sua jornada rumo às terras além do Oeste. Nós cuidaremos de Seu Reino, e aguardaremos também o Seu retorno, quando for o momento do Rei Carvalho despedir-se para que a vida continue, assim como Você agora o faz. Tudo o que vai deve um dia retornar. Lembremo-nos sempre desta máxima sagrada.” Com as palavras e as bênçãos da Senhora, o Rei Azevinho entregou sua coroa à floresta e partiu em direção aos caminhos do Oeste, de onde, como proferiu a Deusa, Ele um dia retornará. Mas isso é parte de outra história… por enquanto, saudemos o Rei Carvalho e abracemos, com vontade, a nova vida. O mito do Rei Carvalho e do Rei azevinho é um dos mais tradicionais nas épocas de Litha e Yule. Enquanto em Litha, o Rei Carvalho é desafiado pelo Rei Azevinho, que chega para governar a metade fria e escura do ano, o contrário ocorre em Yule. A noite mais longa do ano nos lembra que a Luz retorna ao mundo. Os dias serão cada vez mais longos, e em breve o Sol voltará a nos aquecer e trazer a vida de volta à Terra. Assim como o Rei Azevinho finalmente se convence de que a Criança da Promessa deve governar. Vamos celebrar a vida, a esperança e a promessa de dias mais quentes, melhores, com mais amor e beleza. A Deusa dá a luz ao Deus, que é homenageado como A Criança da Promessa. É impossível discutir as Tradições de Yule sem mencionar o Natal. Muitos dos costumes de Yule foram absorvidos pela Igreja Cristã, quando o Catolicismo tentava se estabelecer na Europa. O Natal Cristão já foi festejado em várias datas diferentes no decorrer do século, mas se estabeleceu no dia 25 de dezembro, pois associou muitos dos costumes da antiga e milenar celebração do Solstício de Inverno, que ocorre por volta de 21 de dezembro no hemisfério Norte. As Tradições Cristãs dizem que Maria deu à luz Jesus no vigésimo quinto dia, mas não confirma de qual mês. Finalmente em 320 d.C., a Igreja Católica decidiu marcar o nascimento de Cristo em dezembro para absorver o culto sagrado do Solstício de Inverno dos celtas e saxões. O Nascimento de um Deus no Solstício de Inverno não é exclusivo do Catolicismo, pois muitos “bebês divinos” nasceram nesta época. Mistras é um exemplo claro disso. Há muitas práticas que são utilizadas por Cristãos hoje que possuem origens essencialmente Pagãs. A Árvore de Natal, decorada com bolas e uma estrela no topo, não é nada mais nada menos que a antiga árvore que os Pagãos decoravam nos tempos ancestrais com velas, comidas e bolas coloridas (símbolos fálicos relacionados ao Deus) encimada por um Pentagrama, o símbolo da Bruxaria. As guirlandas, o azevinho, a Tora de Yule (Yule Log) queimando no fogo são todos costumes Pagãos. Yule, o Solstício de Inverno, acontece por volta de 21 de dezembro no hemisfério Norte e por volta de 21 de junho no hemisfério Sul. O Sol agora encontra-se em Nadir, por isso é a noite mais longa do ano.Muitos Pagãos celebram Yule com o festival da Luz, que comemora a Deusa como Mãe que dá nascimento ao Deus Sol, a Criança da Promessa. Outros celebram a vitória do Deus da Luz (Rei do Carvalho) sobre o Rei das Sombras (Rei do Azevinho), pois a partir desse momento os dias se tornarão visivelmente mais longos com o passar do tempo, mesmo com frio.Esse Sabbat representa o retorno da luz. Aqui, na noite mais escura e fria do ano, a Deusa dá nascimento à Criança do Sol e as esperanças renascem, e Ele trará calor e fertilidade à Terra. Yule é o tempo de celebrar o Deus Cornífero. Nesse dia, muitas tradições Pagãs se despedem da Deusa e dão boas-vindas ao Deus, que governará a metade clara do ano.Em tempos antigos pequenas bonecas de milho eram carregadas de casa em casa com canções típicas de Yule. Os primeiros Pagãos acreditavam que esse ato traria as bênçãos da Deusa às casas que fossem visitadas pelas Corn Dollies.Era um tempo ideal para colher o visco, considerado muito mágico para os Antigos Druidas, que o chamavam de o “Ramos Dourado”. Os druidas acreditavam que o visco possuía grandes poderes de cura e possibilitava ao homem mortal acessar o Outro Mundo. O visco é um dos símbolos fálicos do Deus e possui esse significado baseado na idéia de que as bagas brancas representam o Divino sêmen do Deus, em contraste às bagas vermelhas do azevinho, semelhantes ao sangue menstrual da Deusa. O visco representa a simbólica substância divina e o senso de imortalidade que todos precisam possuir nos tempos de Yule. A Tradição da Árvore de Natal tem origem nas celebrações Pagãs de Yule, nas quais as famílias traziam uma árvore verde para dentro de casa para que os espíritos da Natureza tivessem um lugar confortável para permanecer durante o Inverno frio. Sinos eram colocados nos galhos da árvore. Os espíritos da Natureza eram presenteados e as pessoas pediam aos elementais que as mantivessem tão vivas e fortes durante o Inverno como a árvore que recebia lindos enfeites. O pinheiro sempre esteve associado com a Grande Deusa. As luzes e os ornamentos, como Sol, Lua e estrelas que faziam parte da decoração das árvores, representavam os espíritos que eram lembrados no final de cada ano. Presentes eram colocados aos pés da árvore para as Divindades e isso resultou na moderna troca de presentes da atual festa natalina.As cores tradicionais do Natal, verde e vermelho, também são de origem Pagã, já que esse é um Sabbat que celebra o fogo (vermelho) e usa uma Tora de Yule (verde). Um pedaço de tronco que havia sido preservado durante todo o decorrer do ano era queimado, enquanto um outro novo era enfeitado e guardado para proteger toda casa durante o ano que viria. Os troncos geralmente eram decorados com símbolos que representassem o que as pessoas queiram atrair para sua vida. A tradição da Tora de Yule perseverou até os dias atuais entre os bruxos e bruxas, que fazem três buracos ao longe de um pequeno tronco e colocam três velas em cada buraco, uma branca, uma vermelha e uma preta para simbolizar a Deusa Tríplice. A Tora de Yule também é decorada com azevinho sempre verde para simbolizar a união da Deusa e do Deus. Em Yule a casa era decorada com azevinho, representando a metade escura do ano, para celebrar o fim da escuridão da Terra.Para os antigos celtas, celebrar o Solstício de Inverno era o mesmo que reafirmar a continuação da vida, pois Yule é o tempo de celebrar o espírito da Terra, pedindo coragem para enfrentar os obstáculos e dificuldades que atravessaremos até a chegada da Primavera. É o momento de contar histórias, canta e dançar com a família, celebrando a vida e a união. O tema principal desse Sabbat é a Luz em todas as suas manifestações, seja o fogo da lareira, seja de uma fogueira, de velas, etc. A Luz nesse Sabbat torna-se um elemento mágico capaz de ajudar o Sol a retornar para a Terra, para nossa vida, corações e mentes.Correspondência de YuleCores: vermelho, verde, dourado e branco. Nomes Alternativos: Solstício de Inverno, Winter Rite, MidWinter, Alban Arthan, Carr Gomm, Retorno do Sol, Dia de Fionn.Deuses: o Deus, como a Criança da Promessa, e a Deusa, como a Mãe. O Sabbat Yule é o Sabbat em que a Deusa se tornará Mãe. Embora envelhecida no Samhain, ela agora é a Mãe dando a luz. O Deus morto no último Sabbat renasce como seu próprio filho, que é intensamente esperado, afinal Ele é a Criança da Promessa, que vem trazer, em meio à escuridão da noite mais longa do ano no hemisfério norte, a esperança da volta do Sol. Yule é um tempo de esperança, um tempo de celebrar a alegria no nascimento da Luz. Yule é tempo de bençãos e de partilhar com seus familiares e amigos a alegria, o carinho com que a Deusa generosamente nos convida para a vida. Esse costume obedece à filosofia xamânica de renovação contínua de energia , para que nada fique estagnado." Ao longo de toda sua existência, a Igreja Católica veio assimilando cultos e práticas pagãos, alguns dos quais adquiriram papel fundamental no exercício da religião cristã. Pela observação sistemática de alguns destes cultos e práticas, comparando o significado que têm para os bruxos com o significado que têm para os cristãos. O ano bruxo se inicia no frio e escuro meio do outono (1º de maio no hemisfério sul e 31 de outubro no hemisfério norte). Nesta data se celebra o Tempo dos Idos, conhecido pela tradição celta como Samhain. Na verdade, no dia deste sabbat se considera que o ano acaba, mas por três dias o outro ainda não começa. E como se passa a estar fora do ano que se foi e o outro ainda não começou, trata-se de um período fora do tempo, onde vivos e mortos, bem como seres desprovidos de corpo físico, podem se encontrar. Enquanto as bruxas e os bruxos celebram Samhain, nesta época (noite do dia 31 de outubro a 2 de novembro), os cristãos estão celebrando o Dia de Todos os Santos (alterado de 13 de maio para 1º de novembro pelo Papa Gregório II, no século VIII) e o dia de finados (2 de novembro, conforme estabelecido pela Igreja em fins do século X). Tanto bruxos quanto cristãos dedicam este período a entrar em contato com entidades não encarnadas e lhes render homenagens. O sabbat seguinte é a festa do inverno, Yule, pela tradição celta. Este é comemorado no solstício de inverno, menor dia do ano, mas, justamente por isso, é o momento de renascimento do Sol, ou seja, a partir da celebração de Yule os dias começarão a crescer. No natal os cristãos celebram o nascimento de Jesus. Ainda criança, ele é a promessa de dias de glória. Enquanto isso, os bruxos, na festa do inverno, celebram o nascimento do Sol, como promessa de que o inverno que se inicia, tempo de dificuldades, será substituído pela primavera à medida que o Sol se tornar mais forte. Desta forma, tanto em um quanto em outro credo, se celebra o nascimento do Deus e a gradual substituição das trevas pela luz.

domingo, 17 de junho de 2012

O Eu-sombra e os Outros


Toda hora estamos todos ouvindo falar em trabalhar a sombra. Especialmente na Bruxaria, que tem por aspecto mais importante esse trabalho. Muitos a definem por essa busca de equilíbrio, ou tensão, entre a luz e a sombra. Para cada um, no entanto, definir a bruxaria é um caso particular e pessoal, assim como o trabalho da Arte deve ser. Mas, o que é a sombra? Jung, autor dessa definição do lado obscuro e negado do Ego (do Eu), a emprega como relativa ao que de inconsciente existe na alma humana, seu lado negado acima de tudo, o que para a personalidade é seu lado feio e terrível. Na busca da Individuação Jung diz que o trabalho com a sombra é extremamente importante. Mas, para nós bruxos o que é a sombra? Citei a definição de Jung, primeiro por ter sido ele seu empregador mais frente em seus estudos, segundo porque é a definição de sombra que mais se aproxima da nossa. Sombra é, portanto, aquela nossa face que não se reflete em nós mesmos. E, se reflete até, porém na maioria das vezes não a observamos. Como quando o sol está a pino sobre nossas cabeças, nossa sombra real se posta sob nossos pés e acreditamos que ela não existe. Essa é uma ótima alegoria para esse fato. Luz, ou a crença dela em demasia, torna mais escondida ainda a sombra. Porém ela continua lá, existindo. A sombra é nosso lado negado como quer Jung, mas é também nosso lado escondido, não só de nós mesmos como dos que nos cercam. Saber o que é a sombra não é, afinal, tão difícil. Faz-se mais trabalhoso enxergá-la, esse ser da noite e do escuro, assim como aceitá-la e trabalhar com ela. Enxergá-la é um fato curioso. Curioso porque, na minha opinião, é o único processo em que se pode realmente contar com os Outros, mesmo que apenas superficialmente. Podemos nos abrir para as críticas, para os apontamentos e a partir daí iniciar nosso trabalho. De fato, nesse caso os Outros terão papel até certo ponto ativo, porque nos processos seguintes esse papel é passivo, como veremos. Se abertos estivermos a ouvir e ver pelos olhos dos outros, estaremos dando o primeiro passo no trabalho da sombra. Ora, os outros podem vê-la projetando-se, de certa forma melhor que nós. Ë muito engraçado ver alguém tentar alcançar sua própria sombra correndo até ela como um louco, como o louco do tarô. Ele nunca a alcançará de fato, pois que ela o acompanha sempre. Ela está ali, não há o que buscar. A sombra é você, seu reflexo no material. O reflexo que seu corpo, iluminado pela luz, lança nos sólidos. A sombra é seu movimento, sua parte inconsciente e seu duplo aspecto tosco, caricato, mas é você! Sabendo que ela existe de fato e que o trabalho a ser feito não é de combatê-la ou elimina-la, como alguns podem pensar, sabemos agora que o trabalho com a sombra é algo mais sutil. Eu diria que o elemento de trabalho da sombra não é externo, como o corpo físico ou os corpos ao seu redor, diria que ele é interior. Diria que a luz da Lua Esotérica é seu elemento, o feminino é seu regente. Explico. Se observarmos a carta da força, no baralho de Marselha, temos lá uma mulher que delicadamente segura um leão pela boca. Ao contrário do que o título da carta pode sugerir, ela não lhe aplica uma força física, há ali em ação uma força muito mais sutil. E o fato de ser uma mulher a aplicá-la não é a toa. Esta mulher é a representação do feminino em ação, do feminino que existe em cada um de nós independente de nosso sexo. A força que devemos utilizar no trabalho com nossa fera interior, nossa sombra, é esta. É a força da passividade ativa. Aplicando-lhe uma força que não força. No trabalho da sombra isso se traduz como uma domesticação dos “defeitos”, de uma convivência passiva e proveitosa de nossas forças internas. Nossa máscara, nossa persona como diria Jung, não é forjada apenas das luzes do sol, da lua e das estrelas, ela também se compões do obscuro crepúsculo, da imensidão do cosmo, do fundo escuro do mar. Ela, nossa máscara, é uma Deusa caprichosa e indomável, ou convivemos com ela, MOLDANDO-A, na sua maleabilidade divina, ou partimo-la em mil pedaços e fazemos outra para nós. Essa atitude, embora radical, muitas vezes se faz necessária. Como toda Deusa, nossa máscara não admite meios termos. As faces do grande diamante brilham todas ao mesmo tempo, mas cada uma reflete por sua vez. Isso torna muito difícil enxergarmos em nós nossa divindade. Nossa máscara é nossa chave para a evolução. Ora, o que já temos de correto e luminoso (É difícil não usar de dicotomia) já é em si divino, porque o que há em nós de obscuro e maléfico não o seria? No entanto, é mister deixar claro que, não é porque a sombra e sua dicotomia - o mal, seja parte da Grande Divindade que esta face não precise de uns ajustes. Moldar o bem e moldar o mal de nossa máscara é um processo infinito, pois movendo a sombra movemos a luz. Assim, aceitando esse fato, o de que existe em cada um de nós e em tudo uma sombra que o delineia, é preciso usar esse poder para elevar-nos em nosso caminho. Aqui o trabalho com a sombra ainda se faz através dos Outros, esses seres de energia passiva. Porque os outros são passivos?, poderia perguntar você, já que eles a toda hora se zangam com nossas falhas. Eu te responderia que a reação é mais que natural, é um lei da física. Os Outros são na realidade passivos porque são nossos espelhos. É nos Outros que nos enxergamos, sem os Outros não seriamos Nós. A relação Eu-Outro é muito debatida no meio psicanalítico, mas ela é um fato. Nossa sombra se projeta a nossas costas ante a luz do outro, mas ele também tem sombra, e esse jogo torna a experiência fascinante. Quanto mais luz você for, mas ofuscado se sentirá seu espelho e menos você se verá. Mistério do Caminho... Entretanto, trabalhar com a sombra não é esperar que os Outros resolvam seus problemas. Trabalhar com a sombra envolve a maior força do universo, aquela que atrai, une, gera e concretiza: o amor. AH! Você poderia dizer. Então é só amar ao próximo! Não é só isso. Amar ao próximo sem amar a si mesmo não é algo que funcione bem. Só podemos amar os Outros quando pudermos amar a nós mesmos. Porque assim veremos nos espelhos, que são os Outros, todo o amor que temos. E sendo nós mesmos espelhos para os Outros, refletiremos esse amor pelo infinito das reproduções de imagens que se obtêm quando se colocam dois espelhos de frente. Fonte:Luciana Luz http://casabruxal.blogspot.com.br

sábado, 16 de junho de 2012

ESBAT

É a celebração do Plenilúnio, ou seja a Lua Cheia. Representa a fertilidade, a abundância, a prosperidade. Momento em que a Lua encontra-se plena, as marés estão cheias, a Mãe nutre todo o Universo e está repleta de amor. Neste Esbat trabalhamos o que queremos ver frutificando em nossas vidas. O Plenilúnio é o Esbat mais celebrado pelos bruxos, pois é o ápice da energia Lunar, muitas bruxas celebram, durante o mês, apenas a Lua Cheia. Porém ainda podemos celebrar as outras fases da Lua, e para cada fase, trabalharemos energias específicas. Chamo essas celebrações de Ritos Lunares, onde celebramos a Lua Crescente, a Lua Minguante e a Lua Nova. A Lua representa a energia feminina, a Deusa em suas três Faces e a correlação entre elas é a seguinte: Lua Crescente – Deusa em sua Face de Virgem; Lua Cheia – Deusa em sua Face Mãe; Lua Minguante – Deusa na sua Face Anciã; Lua Nova – A Deusa Negra. Reverenciamos a energia da Deusa e fazemos feitiços e outros trabalhos mágicos em conformidade com a energia Lunar de cada fase. Podemos trabalhar a cura de doenças, banimentos de energias nocivas, atração de bons fluídos, prosperidade, renovação e a transformação, e outras dezenas de temas, fazendo com que cada mês, seja um mês de crescimento e aprendizado, pois o hábito de celebrar todas as fases da Lua, traz a cada dia uma conexão maior com a Deusa e seu Consorte. Lua Crescente Representa o começo, coisas que iniciam, tem a força da jovem que retorna da escuridão trazendo a Luz, as marés mudam , tudo muda, tudo se transforma. A Deusa Virgem vem nos mostrar que é época de trabalhar em cima de idéias e objetivos novos. Lua Minguante Representa a morte. As marés agora estão na vazante, é tempo de recolhimento e de escuridão. A Deusa está em sua Face Anciã e caminha para a morte que antecede a vida. Na quietude desta escuridão, segredos são desvelados e caminhos descobertos. Esta energia é propícia a trabalhos de banimento, expurgo e cura. Lua Nova É o período onde não há Lua no céu, chamamos de Lua Negra, trabalhamos as Deusas Negras, a energia que nos conduz a vida e à morte, não a morte física, mas a morte de idéias e situações que já não nos são úteis. A Energia da Lua Negra, é a energia da regeneração.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

A Bruxa de Salem

Autêntica Bruxa de Salem Laurie Cabot é uma Sumo Sacerdotisa que descende de ancestrais celtas, norte-americana e uma das primeiras a popularizar a Bruxaria nos Estados Unidos da América. É autora de livros tais como: The Power of the Witch, The Witch in Every Woman, Celebrate the Earth. Também fundou a Cabot Tradition of the Science of Witchcraft e Witches’ League for Public Awareness para defender os direitos civis dos Bruxos. Nos anos 70 foi declarada pelo governador Michael Dukakis como a “bruxa oficial de Salem, Massachusetts” honrando-a assim pelo trabalho prestado com crianças com necessidades especiais. Laurie Cabot continua residindo em Salem onde tem uma loja mágica chamada The Cat, the Crow, and the Crown (O gato, O corvo e da Coroa). É talvez uma das bruxas mais conhecidas no mundo. É considerada a “lenda” de Salem e uma respeitada celebridade local. Salem, Massachusetts, construiu uma indústria turística em torno de todo o lugar onde, em 1692, um grupo de mulheres jovens alegaram que estavam sendo enfeitiçado por seus vizinhos. Em resposta, 19 pessoas foram enforcadas após ser condenado por bruxaria, um homem foi esmagado até a morte por se recusar a cooperar com o tribunal, e 17 outros morreram enquanto era mantido na prisão. Laurie Cabot nasceu como Mercedes Elizabeth Kearsey em 1933 na cidade de Wewoka, Oklahoma. Cabot diz que desde criança mantem este interesse pelo ocultismo desenvolvendo-o em Boston enquanto se transformava numa jovem mulher que “assombrava” as paredes na Biblioteca Pública de Boston. Nos anos 50 trabalhou como dançarina no clube nocturno chamado “The Latin Quarter” propriedade de Lou Walters. Cabot foi questionada por Lou Walters para abrir o seu Las Vegas Latin Quarter cujo pedido recusou. Casou duas vezes e em cada casamento teve duas filhas, Jody Cabot and Penny Cabot as quais foram criadas como bruxas. Laurie Cabot abriu a primeira “loja de bruxas” (visite: a loja no youtube) no mundo, em Salem na década de 70, a qual foi considerada como um destino turístico e ela como “Bruxa Oficial de Salem”. Atualmente existem diversas lojas em toda a baixa de Salem, mas foi Cabot que desbravou o caminho para início deste negócio. Na loja vendia ervas, joalharia, baralhos de Tarot e outros items usados na bruxaria. Mais tarde transferiu a loja para uma velha casa na rua de Essex que chamou de “Crow Haven Corner”. A loja continua aberta, mas já não pertence à família Cabot. Laura Cabot mantém na mesma uma loja em Salem em Pickering Wharf e um popular destino turístico como também uma importante fonte para todas as bruxas. Cabot é bastante conhecida pelo seu negócio, palestras e livros. No final da década de 1980 teve uma participação nos talk-shows Oprah Winfrey Show e Phil Donahue. Ela é o mais alto perfil de bruxa no mundo. Ela é uma parte do folclore Salem, e uma celebridade local naquela cidade e em toda a costa de Massachusetts.

A Casa Mágica!

Enquanto isso na Casa da Bruxa... Todos nós sempre sonhamos em morar em um lugar confortável, bonito e que corresponda as nossas expectativas como um todo. Construímos nossas casas no pensamento, mas sempre com o intuito de torná-la real apenas no futuro. Nossas expectativas são sempre projetadas para o futuro. Todos querem ter seu próprio lugar, com as coisas à seu próprio modo, e desta maneira, o que mais vemos são pessoas insatisfeitas com seus lares. Muitas não estão propriamente insatisfeitas, mas agem com indiferença quanto ao lugar em que moram. De uma forma ou de outra o que inegavelmente acontece é que acabamos por negligenciar o local onde vivemos, o local que deveria ser nosso forte, onde poderíamos recarregar nossas energias. Nós, como Pagãos, como criaturas que buscam a reconexão com os conceitos básicos de felicidade, isto é, conceitos que nos aproximam da plena felicidade, que nos aproximam da natureza divina, como a harmonia, o equilíbrio, saúde, prosperidade, amor, realização , alegria e a Magia da vida, deveríamos prestar mais atenção a nossa casa, ao local onde vivemos e a tudo que nos rodeia. Porque nossa casa interfere sobre todos estes aspectos com os quais buscamos nos conectar. Assim como os Seres de outras espécies, nossos irmãos do reino animal, do reino vegetal e mineral por exemplo, precisam de determinadas condições físicas e energéticas em seus lares, sejam em cavernas, topo de árvores, solo, etc. Nós também precisamos de determinadas condições em nossas casas. Precisamos nos sentir bem dentro da casa onde vivemos atualmente. Não que devamos deixar de planejar aquela casa do futuro, mas primeiro vamos equilibrar as coisas onde estamos agora? Precisamos lembrar, também, que estamos tentando resgatar conhecimentos muitos antigos que foram atropelados pela era moderna. Vivemos em um mundo sintético e prático, fundamentalmente, e acabamos esquecendo que não é bem isso que queremos. Somos constantemente influenciados por propagandas, hábitos e idéias alheias que acabam transformando nossa casa em um lugar estranho, frio, por vezes até hostil. A casa de um Pagão (Bruxa/Bruxo) precisa ser um local confortável, principalmente energeticamente. Nesta seção daremos dicas mágicas de como equilibrar as energias de sua casa, livrar-se de larvas astrais deixadas por um antigo morador, ou que foram entrando sem ser convidadas! Há dicas também para aqueles que pretendem alugar ou comprar um imóvel, mas este não será o foco, pois sabemos que não é o caso da maioria, de um modo geral o que aprenderemos é como podemos equilibrar as energias de nossa casa, e de certo modo até a decoração, de forma que possamos nos sentir bem dentro dela, como seres mágicos que somos, sem que para tanto precisemos demoli-la e construi-la de novo. =) Enfim, vamos transformar nossa casa em uma legítima casa de Bruxa! Onde nos sentiremos bem até construirmos a casa tão projetada, onde será nosso local de recarga das energias ao fim do dia, onde todos aqueles a quem queremos bem e que, portanto, estão na mesma sintonia que estamos se sintam bem, e aqueles que nos querem ou nos desejam mal sejam instintivamente repelidos por ela. Afinal, como você já dever saber, os objetos de um pagão possuem vida, possuem alma, e com a casa não é diferente! jussara cristina

segunda-feira, 14 de maio de 2012

O QUE É CANALIZAÇÃO ESPIRITUAL

É UM PROCESSO DE COMUNICAÇÃO ENERGÉTICO-ESPIRITUAL CONSCIENTE COM SERES QUE VIVEM E EVOLUEM EM OUTROS PLANOS, MUNDOS E UNIVERSOS MULTIDIMENSIONAIS. ENTRE ALMA E A MENTE-CÉREBRO-CORAÇÃO EXISTE UM CANAL PRINCIPAL CHAMADO PELO ESOTERISMO ORIENTAL DE ANTAKARANA, QUE É COMO UMA PONTE ENTRE PLANOS, MUNDOS E DIMENSÕES DIFERENTES. QUANDO CORRETAMENTE DESENVOLVIDO, E EXISTINDO UMA ESPIRITUALIZAÇÃO DO SER HUMANO, O CANAL MENTAL E O CHAKRA CARDÍACO SE ABREM E ATRAVÉS DELES SÃO RECEBIDOS OS ENSINAMENTOS E MENSAGENS DE SABEDORIA DOS SERES DE LUZ. TODOS TEMOS MÚLTIPLOS CANAIS PSÍQUICOS, MENTAIS, TELEPÁTICOS, INTUITIVOS, ETC. E MUITOS DELES ESTÃO EM ESTADO LATENTE E NECESSITAM DE DESENVOLVIMENTO. AO LONGO DOS TEMPOS ESTAS POTENCIALIDADES FORAM ROTULADAS DE VÁRIAS FORMAS, TAIS COMO: FACULDADES SUPERIORES OU ESPIRITUAIS, DONS, PODERES, CANAIS, SENTIDOS OCULTOS, ETC. NOS NOSSOS DIAS, O TERMO CANALIZAÇÃO ESTÁ MAIS EM USO E SERVE PARA DESIGNAR AQUELAS PESSOAS QUE TÊM UM OU MAIS CANAIS DESENVOLVIDOS, DE MODO PARCIAL OU TOTAL, E QUE SE COMUNICAM CONSCIENTEMENTE COM SERES QUE VIVEM E EVOLUEM EM OUTROS PLANOS E MUNDOS DIMENSIONAIS, TENDO ABSOLUTO CONTROLE DE SUA MENTE E DE SUA VONTADE. NÃO SE TRATA DE MEDIUNIDADE. A CANALIZAÇÃO É SEMPRE CONSCIENTE E EXISTE NO MOMENTO DA COMUNICAÇÃO UMA EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA, DO SENTIMENTO, DA MENTE E DA VONTADE. UM VERDADEIRO CANAL DEVE SER UMA PESSOA ESPIRITUALIZADA, COM IDEAIS SUPERIORES DE VIDA E DE SERVIÇO AOS MESTRES E À HUMANIDADE. A TELEPATIA INTUITIVA É UM DOS CANAIS ESPIRITUAIS DO SER HUMANO QUE VEM SE DESENVOLVENDO, GRADUALMENTE, NAQUELES QUE BUSCAM UMA ESPIRITUALIDADE MAIOR E MAIS ABRANGENTE, QUE NÃO FICAM CONFINADOS A LIVROS, TEORIAS E POSTURAS DOGMÁTICAS, MAS BUSCAM VERDADEIRAMENTE O CAMINHO DA LUZ, COM PUREZA DE SENTIMENTOS E COM CONSCIÊNCIA. ESTES ALMEJAM A EXPANSÃO DE SUA SENSIBILIDADE, DOS SEUS SENTIMENTOS, DA CONSCIÊNCIA, DA MENTE E DA ALMA, ASSIM COMO, UMA UNIFICAÇÃO ENTRE O EU INFERIOR E O EU SUPERIOR. ESTA EXPANSÃO É FUNDAMENTAL EM QUALQUER PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO E AMPLIAÇÃO DOS SENTIDOS FÍSICOS QUE ESTÃO SINTONIZADOS PARA CAPTAR AS FAIXAS VIBRATÓRIAS HORIZONTAIS (VISÃO, AUDIÇÃO, OLFATO, PALADAR E TATO), OS NOSSOS TÃO CONHECIDOS CINCO SENTIDOS, ATRAVÉS DOS QUAIS AS INFORMAÇÕES DO MUNDO EXTERNO NOS CHEGAM À CONSCIÊNCIA FÍSICA. DESENVOLVENDO-OS, EXPANDINDO-OS, PODEMOS CAPTAR AS FAIXAS VIBRATÓRIAS VERTICAIS, QUE SÃO AS QUE NOS SINTONIZAM COM OUTRAS DIMENSÕES E NOS LEVAM AO UNIVERSO FANTÁSTICO DE NOSSAS ALMAS DE UMA FORMA CONSCIENTE. SEGUNDO A CIÊNCIA OFICIAL, NO ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO, E DENTRO DE UMA TÃO VASTA ESCALA DE FREQÜÊNCIAS E COMPRIMENTOS DE ONDAS, A VISÃO HUMANA OCUPA UMA MINÚSCULA FAIXA. EXISTE UMA GRANDE NECESSIDADE DE AMPLIARMOS ESSA FAIXA DE VISÃO, INDO MUITO ALÉM DO ESTÁGIO ATUAL, PARA CONSEGUIRMOS ENXERGAR EM OUTROS MUNDOS E PLANOS DIMENSIONAIS. DISSE O MESTRE DJWHAL KHUL, O TIBETANO, ATRAVÉS DA ALICE A. BAILEY: “O TRABALHO TELEPÁTICO DE ALMA PARA ALMA PARA A HUMANIDADE, ESSE É O TIPO MAIS ELEVADO DE TRABALHO POSSÍVEL. QUANDO O HOMEM, COMO ALMA, COMEÇA A RESPONDER A OUTRAS ALMAS E A SEUS IMPACTOS E IMPRESSÕES, ENTÃO RAPIDAMENTE SE TORNA PRONTO PARA O PROCESSO QUE A CONDUZ À INICIAÇÃO”.... “ESTA FORMA DE COMUNICAÇÃO, TEM SIDO RESPONSÁVEL POR TODOS OS ESCRITOS INSPIRADOS DE REAL PODER, PELAS ESCRITURAS DO MUNDO, PELAS ELOCUÇÕES ILUMINADAS, PELOS DISCURSOS INSPIRADOS E PELA LINGUAGEM DO SIMBOLISMO. ISTO SÓ É POSSÍVEL QUANDO EXISTE UMA PERSONALIDADE INTEGRADA E, AO MESMO TEMPO, HAJA O PODER DE FOCALIZAR A SI MESMO NA CONSCIÊNCIA DA ALMA. A MENTE E O CÉREBRO DEVEM, SIMULTANEAMENTE, SER COLOCADOS EM PERFEITA RELAÇÃO E ALINHAMENTO.” ATRAVÉS DA CANALIZAÇÃO, OS SERES QUE TRABALHAM PARA A LUZ DIVINA COMUNICAM-SE OU UNEM-SE COM A ALMA DO CANAL, QUE POR SUA VEZ ATRAVÉS DO ANTAKARANA, TRANSMITE A MENSAGEM PARA O CHAKRA CORONÁRIO (GLÂNDULA PINEAL). ESTE PASSA OS IMPULSOS ENERGÉTICOS INTELIGENTES PARA O HEMISFÉRIO CEREBRAL DIREITO, QUE OS ENVIA PARA O HEMISFÉRIO ESQUERDO, ONDE ESTÁ A LINGUAGEM FALADA E ESCRITA DO CANAL, E POR MEIO DA QUAL A MENSAGEM É DECODIFICADA NA LÍNGUA PÁTRIA QUE O CANAL TENHA ARMAZENADO NA MEMÓRIA CEREBRAL. SIMULTANEAMENTE, O CHAKRA CARDÍACO RECEBE AS VIBRAÇÕES RÍTMICAS DOS SENTIMENTOS AMOROSOS DO SER QUE SE ESTÁ COMUNICANDO. OS MESTRES TAMBÉM PODEM SE UTILIZAR DE OUTROS CANAIS CONSCIENTES QUE O SER HUMANO TENHA DESENVOLVIDO OU QUE ESTEJA EM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO COMO, POR EXEMPLO, A TELEPATIA INTUITIVA. TUDO ISTO, DEPENDE DE MUITA PRÁTICA, TREINO, DISCERNIMENTO, UM CORRETO DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL, GRANDE ENTREGA E TRANSFORMAÇÃO INTERIOR. O VERDADEIRO CANAL É UM SERVIDOR VOLUNTÁRIO DOS MESTRES DE LUZ OU ASCENSIONADOS E DA GRANDE FRATERNIDADE BRANCA, TAMBÉM CONHECIDA COMO HIERARQUIA OCULTA OU GOVERNO OCULTO DO MUNDO, POR ISSO TRABALHA EM FAVOR DA EVOLUÇÃO DA HUMANIDADE E DO PLANETA. TODAS AS MENSAGENS OU ENSINAMENTOS ESPIRITUAIS CANALIZADOS, SEJAM ELES TELEPÁTICOS, DIRETOS, ESCRITOS OU GRAVADOS, DEVEM SER LIDOS OU OUVIDOS COM O CORAÇÃO, COM O CHAKRA CARDÍACO, E NÃO COM A MENTE RACIONAL, QUE SEMPRE PROCURA CLASSIFICAR, COMPARAR E INTERPRETAR, CORRENDO O GRANDE RISCO DE DISTORCER A SUA CORRETA INTERPRETAÇÃO. OS CINCO SENTIDOS HUMANOS NÃO CONSEGUEM AINDA CAPTAR CORRETAMENTE AQUILO QUE VEM DE UMA DIMENSÃO, PLANO OU MUNDO, MUITO ACIMA DA TERCEIRA DIMENSÃO OU MUNDO MATERIAL. QUANDO UM DOS CANAIS INICIA SUA ABERTURA É PRECISO MUITO TRABALHO PARA SE CHEGAR ÀQUILO QUE OS MESTRES CHAMAM DE “UM CANAL 100%”. O QUE ISTO QUER DIZER? TRATA-SE DO DISCÍPULO QUE NÃO INTERFERE EM NADA NA MENSAGEM OU NOS ENSINAMENTOS QUE LHE SÃO TRANSMITIDOS, PASSA TUDO FIELMENTE, UMA VEZ QUE SUA PERSONALIDADE ENCONTRA-SE MELHOR SINTONIZADA À ALMA, PROPORCIONANDO UM MAIOR EQUILÍBRIO INTERNO. DIZEMOS TAMBÉM QUE, NESTE CASO, O DISCÍPULO ESTÁ EM UNIDADE COM A ALMA E QUE TEM UMA CORRETA COMPREENSÃO DAS SUAS TAREFAS E MISSÕES ESPIRITUAIS. UMA GRANDE MAIORIA DAQUELES QUE HOJE SE COMUNICAM POR ESTES MEIOS COM OS MESTRES, ESTÃO EM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DOS SEUS CANAIS; AINDA NÃO ATINGIRAM O PONTO IDEAL, SEUS CANAIS ESTÃO PARCIALMENTE ABERTOS, OU SEJA, FACILMENTE OCORRE A INTERFERÊNCIA, NAS MENSAGENS OU ENSINAMENTOS, DO INCONSCIENTE OU DO ARSENAL DE CONHECIMENTOS QUE ESTÃO REGISTRADOS NO CÉREBRO, OU, O QUE É MAIS COMUM, DA PERSONALIDADE DAQUELES QUE ESTÃO CANALIZANDO. POR ISSO, ALERTAMOS E ACONSELHAMOS MUITO TRABALHO NA SUBLIMAÇÃO E TRANSFORMAÇÃO INTERNAS, O IMPORTANTE É NÃO DESANIMAR NEM DAR OUVIDOS A VOZES QUE SÓ GERAM CONFUSÃO E QUE NADA CONTRIBUEM PARA AJUDAR E ESCLARECER. TODO AUTÊNTICO DISCÍPULO SABE QUE DEVE PERSISTIR NO SEU APERFEIÇOAMENTO, E DEDICAR-SE INTEIRAMENTE AOS OBJETIVOS DE SUA ALMA E DE SEU ESPÍRITO. TODOS AQUELES QUE ESTÃO NO CAMINHO DA LUZ SABEM QUE ELE É INFINITO E QUE, POR ISSO, SEMPRE HAVERÁ MUITO PARA APRENDER, TRANSFORMAR, TRANSMUTAR E RENOVAR. QUANDO UM CANAL AINDA ESTÁ NESSA FASE ONDE A PERSONALIDADE OU A MENTE INTERFEREM NAS MENSAGENS QUE RECEBE, DEVE BUSCAR A AJUDA DO MESTRE PARA LIMPAR AS MENSAGENS, RETIRANDO TUDO AQUILO QUE RESULTOU DA INTERFERÊNCIA DA PERSONALIDADE, E APROVEITAR AS “PÉROLAS DE SABEDORIA” TRAZIDAS PELO MESTRE (OU MESTRES) À SUA ALMA. MUITOS GUIAS E MENTORES DE ALTO NÍVEL SÃO DISCÍPULOS AVANÇADOS DOS MESTRES DE LUZ QUE SE ENCONTRAM NO MUNDO ASTRAL SERVINDO A OBRA DIVINA, DO MESMO MODO COMO EXISTEM DISCÍPULOS AVANÇADOS E MESTRES ATUALMENTE ENCARNADOS EM VÁRIAS PARTES DO MUNDO, IMPLANTANDO NO MUNDO FÍSICO O GRANDE PLANO DIVINO PARA A TERRA. NA ERA AQUARIANA A COMUNICAÇÃO ESPIRITUAL SERÁ MUITO DIFERENTE DO QUE FOI CONHECIDO NO PASSADO. ESTE NOVO PROCESSO ESTÁ SENDO CHAMADO DE CANALIZAÇÃO ESPIRITUAL OU CHANNELING, PARA SE DISTINGUIR DO PROCESSO DA MEDIUNIDADE. E QUALQUER SER ESPIRITUALIZADO, QUER ESTEJA NO MUNDO FÍSICO, ASTRAL, MENTAL, BÚDICO OU EM QUALQUER DIMENSÃO, UTILIZARÁ ESTE PROCESSO DE UMA FORMA CONSCIENTE, CONTROLADO PELA VONTADE, MENTE, CONSCIÊNCIA E SENTIMENTO. NO PROCESSO MEDIÚNICO DE INCORPORAÇÃO, A ENTIDADE QUE SE ENCONTRA NO MUNDO ASTRAL, SE UTILIZA DO CORPO ASTRAL E DO CORPO FÍSICO DO MÉDIUM, QUE POR CAUSA DISTO PODE PERDER A CONSCIÊNCIA E A VONTADE, PARCIAL OU TOTALMENTE. NA CANALIZAÇÃO ESPIRITUAL, O SER QUE SE ENCONTRA NO MUNDO MENTAL OU BÚDICO, (AMBOS ESTÃO ACIMA DO MUNDO ASTRAL) E QUE ESTÁ TRANSMITINDO AS MENSAGENS OU OS ENSINAMENTOS ATRAVÉS DOS CANAIS CONSCIENTES, NÃO INCORPORA, NÃO LIMITA A CONSCIÊNCIA, NÃO IMPÕE NADA E SÓ EXPÕE. AMBOS ATINGEM UMA UNIÃO OU FUSÃO, ONDE AS DUAS ALMAS, SIMULTANEAMENTE, UTILIZAM-SE DOS MESMOS INSTRUMENTOS, OU SEJA, OS TRÊS VEÍCULOS: MENTAL, ASTRAL E FÍSICO. NESTE PROCESSO O CANAL ESTÁ COMPLETAMENTE CONSCIENTE, PODENDO PARAR QUANDO QUISER E CANALIZAR ONDE QUISER. É O CANAL QUE CONTROLA O PROCESSO E NÃO O MESTRE OU ALGUM OUTRO SER EXTERNO A SI. CONTUDO, EXISTEM MÉDIUNS QUE ESTÃO ASSIM CLASSIFICADOS, MAS JÁ SÃO CANAIS CONSCIENTES, UTILIZANDO-SE DA CANALIZAÇÃO ESPIRITUAL. OS DOIS PROCESSOS SÃO BEM DISTINTOS NA SUA MANIFESTAÇÃO. SOBRE A CANALIZAÇÃO CONSCIENTE OS SERES DE LUZ ENSINAM QUE: “ELES ESTABELECEM CONTATO COM A ALMA E SUAS INFORMAÇÕES FLUEM ENTÃO ATRAVÉS DESTA ÚLTIMA PARA A CONSCIÊNCIA, TRADUZIDAS ATRAVÉS DAS PALAVRAS E CONCEITOS QUE CADA UM TEM DISPONÍVEL. EXISTEM INFINIDADES DE MANEIRAS PELAS QUAIS ELES PODEM TRANSMITIR INFORMAÇÕES PARA A ALMA.” “NA CANALIZAÇÃO CONSCIENTE ELES GRAVAM NA MENTE A MENSAGEM POR MEIO DO QUE PODE SER CHAMADO TAMBÉM DE TELEPATIA. ALGUNS FAZEM TRANSMISSÕES ATRAVÉS DO EMPREGO DE UMA FORMA DE TELEPATIA SUPERIOR 6 , QUE SE DÁ ATRAVÉS DO CANAL MENTAL ANTAKARANA”. “À MEDIDA QUE CADA UM SE DESENVOLVE E PASSA A COMPREENDER MAIS COISAS, ELES PODEM TRANSMITIR MENSAGENS MAIS COMPLEXAS OU MENSAGENS COM ALCANCE MAIS AMPLO. AS INFORMAÇÕES QUE CADA UM RECEBE A RESPEITO DE UM TEMA, EM DETERMINADO ESTÁGIO DO SEU CRESCIMENTO SERÃO GERALMENTE EXPANDIDAS, ESCLARECIDAS E MODIFICADAS NO DECORRER DO DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL. É POR ISSO QUE É TÃO IMPORTANTE REGISTRAR E RELER O QUE FOI CANALIZADO”. ensinamentos canalizados dos mestres por Henrique Rosa e Lourdes Rosa fonte: site - Anjo de Luz - http://www.anjodeluz.net/ Ler mais: http://acessandoadivinaluz.webnode.com.br/o%20que%20e%20canaliza%c3%a7%c3%a3o%20espiritual/

Oração A Gaia

AMADA MÃE NATUREZA, AMADA CONSCIÊNCIA DA NATUREZA, AMADA MÃE ÁGUA, AMADA CONSCIÊNCIA DA FLORA E DA FAUNA. AMADA SOIS... TERRAS E MATAS, COLINAS E CAMPOS, LUZ E LUAR. BENDITA ÉS TU MÃE NATUREZA QUE A TODOS PROVÉM. BENDITA ÉS TU, QUE A TODOS ACOLHE. EM SUAS ÁGUAS SE ENCONTRA A CURA. EM SUAS MATAS SE ENCONTRA A CURA. EM TODO SEU, A CURA ESTÁ. AMADA SOIS... A NATUREZA, COMO UM VENTRE MATERNO, PROVÉM A VIDA AOS QUE AQUI VIERAM HABITAR. A NATUREZA, COMO UM VELHO SÁBIO, ENSINA A VIDA AOS QUE AQUI VIERAM APRENDER. A NATUREZA, COMO UM NOVO LIVRO, ENSINA O HOMEM A SER SÁBIO. A NATUREZA, COMO FONTE DIVINA, ENSINA AOS SEUS COMO SER PARTE DO TODO. AMADA SOIS... AS NUVENS E OS RIOS, MOSTRAM A FORÇA DAS ÁGUAS E DOS VENTOS. AS NUVENS E OS RIOS, MOSTRAM QUEM SEMPRE VAI, COMO A VIDA SEGUE... AS NUVENS E OS RIOS, FALAM DO AMOR QUE CORRE COMO SANGUE NAS VEIAS DAS MATAS. AS NUVENS E OS RIOS, TRAZEM O AMOR ATÉ OS CORAÇÕES, COMO O OCEANO E O BARCO. AMADA SOIS... QUE O MILAGRE DA MÃE NATUREZA, SEJA O MILAGRE DE NOSSAS VIDAS. QUE O MILAGRE DA MÃE NATUREZA, SEJA A CURA DE NOSSAS VIDAS. QUE O RESPEITO À MÃE NATUREZA, SEJA O RESPEITO POR NOSSAS VIDAS. QUE A RENOVAÇÃO DA MÃE NATUREZA, SEJA A RENOVAÇÃO DE NOSSAS VIDAS. AMADA SOIS... QUE A CONSCIÊNCIA DIVINA DAS MATAS, ENCONTRE RESSONÂNCIA EM NÓS. QUE A CONSCIÊNCIA DIVINA DAS ÁGUAS, ENCONTRE CONCORDÂNCIA EM NÓS. QUE A CONSCIÊNCIA DIVINA DAS TERRAS, ENCONTRE ABUNDÂNCIA EM NÓS. QUE A CONSCIÊNCIA DIVINA DOS VENTOS, ENCONTRE ELEGÂNCIA EM NÓS. AMADA SOIS, AMADA ÉS, AMADOS SOMOS... QUE A ALEGRIA E O AMOR VIVAM EM NOSSOS CORAÇÕES, COMO A SEMENTE QUE GERMINA EM TENRO LUGAR. ESTAREMOS SEMPRE EM TI, QUANDO TU ESTIVERES EM NÓS.

sábado, 5 de maio de 2012

“Banho de Lua” para deixar sua energia em alta!

Hoje a LUA É DE CRISTAL Aproveite todas às influencias desta Lua e da energia maravilhosa que emana do ventre da Deusa!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

O QUE ESTUDA UMA BRUXA ?

(Por Bruxa Jade Fênix) A Bruxa estuda astrologia, biologia, hermetismo, herbologia, horticultura, diversas religiões, história geral, alquimia, terapias alternativas... Todos os caminhos necessários para que ela desenvolva seus dons naturais e também sobrenaturais. Toda Bruxa tem uma biblioteca abundante. Livros de muitos assuntos... Assuntos diversos! A bruxa estuda oráculos, bruxarias diversas para suas práticas no ofício. Sempre está em busca de novos conhecimentos... Não há na bruxaria, como renegar algo a estudar... Todos os assuntos são necessários para o ofício da bruxa! A bruxa estuda cristais, simpatias, feitiços... A bruxa estuda a história da música, e a história medieval... É, o caminho da bruxa está em estudar! A bruxa estuda de um tudo um pouco... Estuda ciências...reticências... Estuda a lua, o vento, o tempo... Estuda etnias... Eu principalmente gosto da Etnia Cigana... cheia de encantos! A bruxa estuda teosofia... A sabedoria divina! A sabedoria dos deuses! A bruxa estuda o poder das velas... O poder das cores... O poder da alma! A bruxa estuda seu íntimo... Suas atitudes e pensamentos. Suas verdades! A bruxa estuda os elementos... Estuda os animais... Estuda a natureza! A bruxa estuda muitas artes... Geralmente vivem das artes! A bruxa estuda a teoria e a prática de quase tudo. Tudo nos interessa... Tudo nos acrescenta conhecimentos que se juntam, Para formar o nosso poder mágico! A bruxa estuda rituais... Mantras... Ervas!!! Ela estuda números... Cabala, e tudo mais! A vida da bruxa é estudar sempre! A bruxa estuda símbolos runas, tarô... Na verdade estuda todos os tipos de sortilégios e oráculos! Há bruxas que não dispensam a cozinha... Estudam receitas e mais receitas mágicas de cozinha!!! Mas um assunto que todas as bruxas estudam... Até as mais preguiçosas é a INQUISIÇÃO!!! Esse contexto serve para muito aprendizado e ... entendimento de suas antepassadas!!! A bruxa estuda fadas, gnomos e dragões... Estuda animais totens... E coisas do outro mundo!!! A bruxa estuda as lições de primeiros socorros... E encantamentos de cura! Tem bruxas muito ligada em artesanatos. Eu por exemplo, sou perfumista... Mas gosto só de perfumes naturais e artesanais... Que eu mesma fabrico!!! Na verdade, Estudar a magia é estudar a própria vida!! Com seus textos e contextos!!! Espero que você entenda o que quis falar até agora... O melhor caminho da bruxaria... O caminho mais iluminado e mais verdadeiro, é o estudo constante!!! Sempre temos algo a aprender... A acrescentar nas lições antigas... Nos contextos novos e nos antigos!!! Todos carregam uma escola inteira de lições diferentes... Precisamos apreciar todos os ensinamentos!! Com carinho especial a todas as bruxas e magos, Estudiosos da arte mais antiga do mundo, A arte da bruxaria, A arte da vida, Do viver bem consigo mesmo e com os outros!! A arte de estudar o auto-conhecimento...

quarta-feira, 7 de março de 2012

Oração da Mulher Sagrada!

"Sagrada Força Feminina te saúdo e sinto tua presença se manifestando em meu Ser
Através de meus pensamentos, palavras e ações
Deixo que a Divina Presença da Mãe Cósmica me oriente com sua infinita sabedoria
Ela está chegando, sinto sua Dança!
Ela está falando, ouço sua canção de Amor!
Ela está dentro e fora nas coisas mais simples e por isso perfeitas
E seu templo sagrado é meu corpo de Mulher
Seu pensamento agora é meu pensamento
E só penso em Amor,
Só sinto Amor
E só vejo Amor
O mundo que percebo é fruto da minha percepção de Amor
E assim crio a minha realidade
Abençôo meu dia e honro minha Deusa de mil nomes
E assim crio a magia que me ilumina e protege
Saúdo a noite e honro minha Mãe Lua, suas sagradas fases comandam meu corpo de mulher
E assim me preservo saudável e com meus ciclos femininos em perfeita harmonia.
Saúdo a Incognoscível, e assim honro e preservo meu poder oculto.
Saúdo as Forças da Natureza para que a Mãe Terra me proteja
E me oriente no Norte, no Sul, no Leste e no Oeste.
Honro a terra onde piso, a água que bebo e o meu alimento,
Pois sei que tudo que fizer a esta Terra voltará para mim e para meus descendentes.
E assim me conecto ao coração de Gaia e a sua proteção maternal.
A Deusa cuida do meu corpo e da minha alma
E assim estou em perfeita sincronia com o Universo
Do meu coração fluem seus ensinamentos, suas palavras de sabedoria e sua força infinita
E assim realizo minha divindade humana
Em minha alma o Sagrado Feminino e o Sagrado Masculino se uniram em Amor e Êxtase
E assim descobri o equilíbrio onde o ser humano deve estar
Todo o Amor que nutre minha existência vem da Fonte Divina
Por isso não preciso que nenhum ser humano o faça por mim
A Deusa abençoa meu corpo com seus sagrados encantos
E assim a beleza da minha Alma se reflete em meu corpo feminino
Da minha mente fluem os pensamentos e a criatividade
Que fazem minha existência ser especial e singular
E assim realizo minha vocação maior
Preservo meu coração limpo e leve como uma pena
E assim me permito ser livre e feliz para sempre
E que Assim Seja,
Porque Assim É"

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

LUA NEGRA


Lua Negra
Ao contrário do que muitos pensam, a Lua Negra não é um nome mais bonitinho para a Lua Nova. Lua Negra é a denominação dada ao período em que não vemos nenhuma lua no céu, e isso ocorre por volta de três dias antes do 1º dia de Lua Nova.
É bastante interessante notarmos que a Lua, sem o reflexo do Sol, mostra-se como ela é verdadeiramente; a sua sombra. O mesmo não ocorre com a gente?
Buscando a Bruxaria, sabemos que devemos nos aprofundar dentro de nós mesmas(os) e nos conhecermos verdadeiramente. Isso inclui conhecer de verdade nossas qualidades e defeitos, pois ambos fazem parte do que somos em nossa essência.
É por isso que pessoas que negam o lado ruim das coisas dentro da Wicca são chamadas de “pink wicca”. Para essas pessoas, a Deusa é “tudo de bom”, o amor do Deus é maravilhoso, a Wicca celebra a Natureza e blablabla. Sim, isso é, de fato, parte da Wicca. Mas a Bruxaria não é só isso.
A Bruxaria lida com a totalidade. Isso significa que não existe “bem” e “mal”, mas vários lados de uma mesma moeda. A Natureza é muito complexa para caber em apenas duas definições tão simples. O que devemos aprender é como equilibrar nossas ações e pensamentos.
Nada na Natureza é totalmente perfeito, assim como nada é totalmente imperfeito. Este conceito é bastante interessante e vale a pena refletirmos sobre ele em determinados momentos de nossas vidas.
Durante essa fase de escuridtão total da lua, as bruxas reverenciam as chamadas “Deusas Escuras”, que são na maioria as deusas com aspectos da Anciã, realizando rituais de cura, de adivinhação e de transmutação.(Lembrando que o fato de serem escuras remete ao trabalho com a sombra, e não com artes maléficas. Associar a cor negra à maldade nada mais é do que uma propagação do preconceito contra os negros.)
Com o advento das religiões patriarcais e a invenção da idéia de “cultos demoníacos”, tudo o que era de aspecto sombrio relacionado à Bruxaria era taxado de maléfico. Obviamente, os mistérios da Lua Negra tornaram-se também sinõnimo de horror e malefícios. Surgiram, assim, lendas e superstições sobre demônios e forças malignas e a Lua Negra passou a ser vista como um momento perigoso. Tanto que, até hoje, muitas bruxas acreditam que não se deve mexer com Magia nesses dias. Pura superstição.
É claro que você deve estar mais sensível para esse tipo de coisa durante esse período, não realizando rituais sem conhecimento. No entanto, a Lua Negra é o período ideal para muitas práticas de Bruxaria.
A Lua Negra facilita o acesso aos planos mais sutis e às profundezas de nossa mente. Hoje em dia, esse período é considerado ideal para rituais que visem transformação e renovação.
É compreensível, visto que, somente entendendo e conhecendo o nosso lado mais obscuro podemos nos conhecer por completo, pois é um lado que as pessoas geralmente costumam tentar esconder, ao invés de trabalhá-lo para melhorar sua vida. Entrando em contato com a nossa sombra, encontramos caminhos secretos para o nosso inconsciente.
Se você realizar esse trabalho de conhecimento interior, a Lua Negra poderá ter o poder de criar e destruir, de curar e de renovar, de regenerar e de fluir com os ritmos naturais de forma mais completa. Tudo porque você atingirá a totalidade interior uma maior compreensão de si mesma.
É de vital importância a leitura do “Mito da descida da Deusa”, pois ele está intimamente relacionado à essa fase da lua e nos dá uma boa visão do que ela representa, exatamente.
Uma transformação real envolve a destruição de valores antigos, padrões, comportamentos e idéias, para que tudo nasça novamente. Nos livramos daquilo que não nos serve mais para abrirmos espaço para o novo.
Os objetivos práticos dos rituais variam conforme a pessoa, a ocasião e a necessidade. Alguns exemplos de propósitos de rituais na Lua Negra são: remoção de uma maldição, correção de algum problema, afastamento de algum obstáculo ou dificuldades, limpeza de energias negativas (em pessoas, lugares, objetos etc.), entrar em contato com deuses ancestrais, entre outros. Algumas Deusas Escuras: Hécate, Medusa, Kali, Ereshkigal, Hel, Sekhmet, Sheelah Na Gig, Cailleach.
Algumas correspondências da Lua Negra*
Palavras-chave
Complementação, finalização, dissolução, introspecção, tradição, sabedoria, morte e transmutação.
Velas
Pretas (para afastar a negatividade), brancas (para os novos inícios) e vermelhas (para representar o sagrado feminino). Essas cores são as três cores da Deusa e representam as suas três faces: donzela, mãe e anciã.
Objetos
Xale preto, galhos e folhagens secas, penas pretas, pêlo de cachorro preto ou lobo, teia ou imagem de uma aranha, representações do poder transmutador de uma serpente.
Instrumentos
O caldeirão é o objeto mais importante a ser usado em um ritual da Lua Negra, pois ele representa o ventre regenerador da Deusa. objetos divinatórios como o espelho negro, tarõ e runas também podem ser usados para orientação e auto-conhecimento.
Música
Sons de tambores ajudam a mergulhar no ventre da Mãe Terra, trazendo mensagens e sugestões para a cura, a transformação e a regeneração.

Anuário da Grande Mãe, de Mirella Faür

Magia de Atração pelos pés.


Esta magia serve para atrair qualquer coisa, desde a pessoa amada, até aquele emprego que não surge nunca.
No primeiro dia de Lua Nova, você vai vestir roupa preta e acender uma vela roxa.
Na vela, você vai escrever antes de acender, com seu athame ou uma faca, a palavra “atração” e segurar por uns minutos com as duas mãos, mentalizando seu desejo, untar a vela com seu óleo de proteção. Pronto, acenda a vela.
Em um papel branco, você vai escrever seu desejo com lápis e dobrar três vezes. Este papel vai ter de ficar na sola de seu pé direito, sempre que sair de casa, ou o máximo de tempo possível no dia, até o primeiro dia de Lua Nova do mês seguinte.
Você vai ficar com o papel nos pés praticamente um mês, e a cada troca de sapato, você diz; “venha pra mim”.
No último dia de magia, você vai acender outra vela roxa, segurar o papel com uma pinça para não se queimar, passar o papel pela chama da vela e dizer; “venha rápido pra mim”.
Jogue o papel para terminar de queimar em seu caldeirão ou em uma panela. Ele tem que queimar totalmente para a magia funcionar. Deixe a vela queimar até acabar.
Pronto está feito!


Dica: Andréia Hermann

Acorde feliz!


Uma antiga tradição conta que a primeira coisa que vemos ao acordar determina os rumos do dia. Então é bom colocar ao alcance dos nossos olhos coisas bonitas e inspiradoras. Uma imagem religiosa, objetos de arte, fotos de entes queridos etc. O importante é enxergar coisas que nos agrade. Afinal, os olhos são a porta da alma.

Coisas de Fadas